Walt Disney Co. (DIS)

Walt Disney

Sinto-me fortunado por ter a oportunidade de investir numa das empresas com maior qualidade do mundo.
O que acontece quando uma empresa consegue ser rentável ano após ano dando origem a um excesso de lucro? O que vai fazer a todo esse dinheiro?
Essa receita é entregue a investidores sobre a forma de dividendos regulares. Dividendos que crescem ano após ano.

Esta manhã acordei com algum dinheiro extra e usei-o para carregar a minha arma. Olhar para os mercados é como ir à caça. Estamos sempre à procura de uma boa presa.

E hoje matei um rato. Comprei 25 acções da Walt Disney Co. (DIS) no dia 20/08/2015 por $104 dólares por acção.

Visão Geral

A Walt Disney Co., junto com as suas subsidiárias é um conglomerado de média global.

Elas operam através de 5 segmentos: Media Networks (43% da receita fiscal 2014), Parks and Resorts (31%), Studio Entertainment (15% – Produção de filmes), Consumer Products (8% – Bens de consumo), Interactive (3% – Jogos de computador).

A Disney possui um grupo de empresas de média e entretenimento. Incluindo o Walt Disney World Resort na Florida e o Disneyland Resort na Califórnia. Recolhe também um imenso número de royalties com parques de diversões, cruzeiros e resorts por todo o mundo.

Tem activos na transmissão de média, incluindo a ABC e mais 8 estações de televisão. Possuem serviços de cabo como a ABC Family, Disney Channels, 50% da A&E e 80% da ESPN.

A Studio Entertainment produz filmes live-action e animações em formato de vídeo, musica e teatro. A distribuição é feita através de marcas como Walt Disney Pictures, Pixar, Marvel, Touchstone e LucasFilm.

Trabalham também com editores licenciados em todo o mundo que fabricam e comercializam bens de consumo com base na sua propriedade intelectual.

A Disney recentemente reportou os resultados do 3Q 2015, e os resultados foram excelentes. EPS 13% acima comparado com os resultados do Q3 2015 e a receita cresceu 5%.

E as acções caíram após os resultados. Só me parece a combinação de duas coisas:

Número 1, os resultados foram abaixo das expectativas. Ouve uma preocupação sobre percas de assinantes no serviço de cabo ESPN.

Número 2, as acções estavam um pouco sob valorizadas e a descida foi razoável.

No entanto não estou muito preocupado com a ESPN. A receita dos serviços de cabo caiu na faixa de um digito. Mas outros segmentos da empresa permanecem robustos, especialmente o Studio Entertainment.

Diminuir a influencia da empresa nos serviços de cabo não me parece mal. Na globalidade a empresa está a crescer a um ritmo balístico.

O conteúdo digital pode ser consumido de diversas formas digitais. Mas na realidade os jogos vão continuar a ser consumidos em transmissões ao vivo. E nisso a ESPN continua a liderar o mercado com programação desportiva. A forma como os conteúdos são distribuídos continua a mudar mas eu acho que o valor real está do lado de quem cria os conteúdos e nisso a Disney é líder.

Ao mesmo tempo, a empresa tem muitos projectos a desenrolar.

Bob Iger falou no Disneyland Shanghai durante a conferência, esperando a abertura do parque durante a primavera de 2016.

Foi também anunciado durante a Expo D23 dois espaços Star Wars, um na Disneyland em Anaheim e outro em Orlando na Walt Disney World. Estes vão demorar uma serie de anos a construir, mas é emocionante imaginar o futuro desta empresa.

Há também uma gama de novos filmes a sair que se anunciam. Star Wars Episódio VII será lançado em Dezembro, o primeiro de uma trilogia. A sequela de Frozen já foi anunciada. E o universo Marvel continua a brilhar êxito após êxito.

É de longe a minha empresa favorita de média e entertenimento.

A empresa também surpreendeu recentemente os investidores, abolindo o seu dividendo anual em favor do dividendo semestral. Aumentando também os dividendos 14,8% após o ultimo aumento de 33,8% à 6 meses atrás.

Riscos

Os riscos da Disney incluem abrandamentos económicos que podem limitar a procura de parques temáticos, cruzeiros e resorts.

Além disso, com o cancelamento de assinaturas de cabo reduz a receita e os custos de programação se não forem bem geridos podem afectar negativamente a geração de receita.

Têm que ser capazes de adaptar constantemente os seus conteúdos aos interesses dos consumidores. Especialmente no que diz respeito a filmes com grandes orçamentos. Pode ser arriscado porque a procura tem que estar lá no momento certo para conduzir à receita.

Sendo uma empresa global enfrenta riscos cambiais.

Avaliação

Acho que parte da razão que o stock recuou de forma tão agressiva foi devido aos resultados do 3Q. A acção não era barata e ao mínimo sussurro de fraqueza assustou os investidores míopes.

Ainda não se encontra excessivamente barato após a queda, mas estou disposto a pagar por qualidade neste caso.

O stock está a ser comercializado com um P/E de 22.93.

Valorizo as acções utilizando o Modelo de Gordon com uma taxa de desconto de 10% e uma taxa crescimento de 2 fases: 20% de crescimento de dividendos a 10 anos e 7% de crescimento terminal. Usei um modelo de 2 fases devido ao baixo rendimento da Disney. As taxas de crescimento que usei parecem razoáveis com base nos resultados históricos da Disney. A análise dá-me um valor justo de $134.36.

Conclusão

O rendimento não é grande. 1,2%, logo não devo colocar muito capital aqui.

Na minha opinião a Disney tem um dos melhores modelos de negócio do mundo. Os seus clientes são extremamente fieis. Ainda há muito potencial para lucro e crescimento.

Espero poder comprar mais Disney no futuro porque sinto que é uma aposta muito confortável.

Estou muito feliz com esta posição apesar de no mesmo dia o preço ter caído a $100.

Esta aquisição acrescenta $33 ao meu rendimento anual de dividendos, baseado no corrente dividendo semestral de $0.66.

Avaliação de outros analistas

Morningstar avalia a DIS como 4 de 5 estrelas, com cálculo de valor justo de $134,00.

S & P Capital IQ avalia a DIS como um 4 de 5 estrelas, com cálculo do valor justo de $109,10.

Qual a tua opinião sobre a Disney? Achas que é um bom negócio?

Obrigado pela leitura.

Comentários

comments powered by Disqus